Fintan Magee pinta mural imigrante

Artista australiano aborda crise imigratória na Europa e aponta possível solução ao divulgar sua nova obra na comuna italiana de Monteleone di Puglia. “The Traveler”
“The Traveler”, mural realizado em Monteleone di Puglia. (Crédito: @fintan_magee)

“The Traveler”. Esse é o título do mais recente mural do artista australiano Fintan Magee, realizado dentro do Willoke UrbanArt Festival, entre as regiões de Campania e Puglia, na Itália. Além da beleza plástica da composição – duas empenas e duas diferentes perspectivas realistas de uma mesma imagem -, a obra de Magee veio acompanhada de uma reflexão sobre uma possível solução para a questão dos refugiados e imigrantes ilegais na Europa, que, apesar de não aparecer mais nos noticiários, ainda figura como uma crise humanitária sem precedentes.

De acordo com o artista australiano, que diz acreditar que os refugiados e imigrantes poderiam solucionar o problema do déficit populacional em zonas rurais de alguns países europeus, a sua obra apresenta dois olhares sobre a figura de um imigrante gambiano, um jovem que vive do ofício de sapateiro e alfaiate. O primeiro mural, de corpo todo, o jovem aparece segurando um pedaço de tecido devido a sua ânsia pelo trabalho, enquanto o segundo, centrado em suas pernas, simboliza o longo percurso que estes jovens têm de fazer em busca de novas perspectivas e, sobretudo, da realização de seus sonhos.

Bem-vindos, hóspedes

Em meio à divulgação de sua obra, o artista australiano também citou outra curiosidade vista em Monteleone di Puglia, comuna italiana com menos de mil habitantes e que possui dois campos de refugiados, um com 20 vagas e outro, dedicado a menores desacompanhados, com capacidade para 15 crianças. Por conta de uma diferença histórica, uma longa passagem de imigração aos EUA e Canadá, a comuna se difere no tratamento dado aos imigrantes, vistos como verdadeiros hóspedes.

Ao contrário do que ocorre nos inúmeros campos de refugiados espalhados pela costa italiana, em Monteleone di Puglia, os “hóspedes” possuem liberdade para trabalharem fora enquanto aguardam a resolução de seus processos de regularização. Ainda de acordo com o artista australiano, o prefeito da comuna Giovanni Campese também acredita que estes jovens, com idades entre 13 e 18 anos e vindos principalmente de Marrocos e Gâmbia, poderiam solucionar o problema do déficit de habitantes na região, a considerar que a maioria dos jovens locais segue para as grandes cidades em busca de melhores oportunidades profissionais.

Fintan em Portugal

Dono de um realismo singular, que se adapta tanto às telas como aos trabalhos em grande escala, o artista australiano aparece como um dos muralistas mais ativos da atualidade, com passagem por diversos países e festivais. Em Portugal, por exemplo, Fintan Magee marcou presença na primeira edição do Estarreja Arte Urbana – ESTAU, realizada no último ano nesta pacata cidade do norte do país.  Intitulado “Head in the Clouds”, o mural em terras portuguesas acabou por ganhar bastante destaque, a considerar que, na sequência, o artista apresentou uma versão em tela e também lançou uma impressão desta mesma obra. Um trabalho incrível e que sintetiza toda a beleza vista em seu trabalho.

Aliás, a segunda edição do festival, que ocorre de 9 a 17 de setembro, começa a anunciar os artistas convidados e, até o momento, aparecem confirmados Manolo Mesa, da Espanha, e AkaCorleone. Mais informações em breve.

“Head in the Clouds”, mural realizado em Estarreja. (Crédito: Miguel Castro Oliveira)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s