NUNCA ergue monumento em SP

Artista brasileiro reverencia “Os Fundadores” da cidade de Sorocaba com imponente mural dentro da Frestas – Trienal de Artes, no interior de São Paulo.
“Os Fundadores”. Mural de Nunca em Sorocaba (Crédito: @nunca.art)

“O primeiro monumento a altura do esquecimento histórico aos fundadores da cidade de Sorocaba está de pé”. Foi com esta afirmação que o artista brasileiro Francisco Rodrigues, mais conhecido nas ruas do mundo como Nunca, apresentou seu mais recente trabalho: o mural “Os Fundadores”, realizado dentro da segunda edição da Frestas – Trienal de Artes, articulada pelo Sesc Sorocaba, no interior de São Paulo. Com curadoria geral de Daniela Labra, a mostra citada reúne mais de 150 obras e, através de uma seleção de 60 artistas de 13 países diferentes, mostra-se como um grande panorama da arte contemporânea atual, aberto ao público até o dia 3 de dezembro, enquanto o mural de Nunca é permanente e fica na Praça Coronel Fernando Prestes.

Situado nas costas de um edifício com 14 andares e apontado como um presente aos moradores da cidade, o mural concentra-se no retrato de três índios intercalados, a considerar que os tupiniquins foram os primeiros habitantes da região de Sorocaba – que significa “terra rasgada”, em tupi-guarani. De acordo com fontes históricas, o local onde hoje seria a cidade integrava um entrocamento de uma trilha indígena que dava acesso ao sul do Brasil, um caminho que, na sequência, também passou a ser usado utilizado por bandeirantes e missionários. Além de reverenciar a figura dos índios, que seguem em defesa de suas terras e costumes, o monumento erguido por Nunca ainda traz gravado em “vermelho urucum” as seguintes palavras: “corpo, memória, terra, história, cultura, tradição, língua, origem e raízes”.

O Pedinte em Portugal

Tido como um dos pioneiros do graffiti em São Paulo, dono de um traço inconfundível e com passagens por diversos países, Nunca desbravou as terras portuguesas em 2014, quando, a convite da galeria Underdogs, realizou um caricato retrato de Pedro Alvares Cabral na Rua do Vale Formoso de Cima, em Lisboa. Intitulado “O Pedinte”, o mural ilustrava o famigerado descobridor aos farrapos, com uma lata na mão e a pedir esmolas num movimentado cruzamento. Na ocasião, o reconhecido artista brasileiro também lançou um print deste mesmo trabalho em parceria com a galeria de Alexandre Farto (Vhils) e Pauline Foessel. Embora já esteja degradada pela ação do tempo, a obra ainda encontra-se no local e, com certeza, vale a visita (e a foto).

“O Pedinte” (2014). Obra de Nunca em Lisboa (Crédito: Ctrl+Alt+RUA)

Mais informações sobre a Frestas – Trienal de Artes.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s